Home >> Séries & TV >> Vamos Falar de Série: Friday Night Lights

Vamos Falar de Série: Friday Night Lights

12 Flares Twitter 7 Google+ 4 Facebook 1 Pin It Share 0 Email -- Filament.io 12 Flares ×

Ou, um Teen Drama sobre Futebol Americano.

Olá amigos, lembram que prometi não sumir mais? É, acho que não deu muito certo. Mas estou aqui novamente pra falar sobre uma determinada série, sobre Friday Night Lights.

FNL pra quem não conhece é uma série de 2006 baseada no filme de mesmo nome, que no Brasil recebeu o subtítulo

série friday night lights

Filme de 2004 – (foto: Divulgação)

de Night Lights: Tudo pela Vitória de 2004. Que foi baseado no livro Friday Night Lights: A Town, a Team and a Dream de 1990. Que por sua vez foi baseado na temporada de 1988 do Permian Panthers, um time de futebol americano escolar da cidade de Odessa, Texas.

O filme retrata basicamente isso, a temporada de 1988. De como o time da pequena cidade de Odessa conseguiu ganhar o estadual daquele ano. Embora o filme retrate bem a situação da época (social e financeira da população), e gire bastante em torno dos jogadores do time, o principal mesmo do filme é o Técnico, de como ele conseguiu moldar jovens em homens e os preparar para a vida.

A série embora seja baseada no filme e também conte com 2 atores dele, NÃO é uma continuação. Na verdade quem assiste a série logo após assistir o filme fica até perdido com a falta de continuidade entre eles. Mas isso também acontece entre uma temporada e outra da série, falo disso mais adiante.

A série é  focada basicamente na família do técnico Eric Taylor (Kyle Chandler), que por sinal, são os únicos presentes em todos os 76 episódios que a série teve (5 temporadas). Eric é o técnico do time de futebol americano da escola. E por se tratar de umas escola, é normal que entre um ano e outro, alguns alunos se formem e vão pra universidades distantes, enquanto outros alunos começam na escola. Por isso o elenco não é muito fixo até o final, por isso não vale a pena eu contar muito sobre os personagens da série.

FNL é um teen drama com toda sua essência, e passa por quase todo tipo de clichê que umas série do gênero pode passar, acho que por isso é muito fácil se identificar com algum personagem ou situação. Sério, pense num drama adolescente comum, qualquer drama. Pensou? Aposto que você vai encontrar ele na série. Perder a virgindade? Namoro a Distancia? Qual curso escolher? Gravides? Drogas? Racismo? Jovem apaixonado pela namorada do melhor amigo? Como eu disse, todos os clichês possíveis estão na série. E até coisas nem tão clichê assim, como: sem querer matei um cara, to no colegial e estou de cadeira de rodas, meu pai ausente saiu da cadeia, estou envolvida com um professor. Ok, esse ultimo também já se tornou clichê em dramas teen. O fato é que toda situação possível acontece aqui. Isso ajuda ao espectador a se identificar com o show, porém, com tantas situações, nada é muito bem explorado e acaba se tornando algo um tanto superficial.

A série é feita de forma extremamente amadora. Mesmo assistindo em 1080i temos a impressão de estarmos vendo em uma baixa resolução. Não sei se os defeitos técnicos são por conta do baixo orçamento, ou é uma forma de deixar a cena mais real. Mas acontece muita coisa quase inaceitável. Muitos diálogos dão a impressão de serem improvisados (não achei informação a respeito disso), personagens falando ao mesmo tempo, ou com falas totalmente sem nexo algum é comum, isso quando não temos dois ou mais personagens falando ao mesmo tempo (pra quem assiste legendado é um inferno). Voltando a falar sobre o visual, existe muita cena, muita tomada sem sentido algum. Sabe quando num filme/serie aparece por exemplo a imagem de uma carta, uma uma troca de olhar entre personagens, ou algo assim, e sabemos que essa cena vai representar alguma coisa mais a frente? Em FNL isso não acontece, um take sobre uma carta muitas vezes é só isso, um take sobre um carta. Simples assim, sem importância.

Como disse no inicio do texto, a série enfrenta uma falta de continuidade enorme. Muitos assuntos são deixados pra lá, sem importância, como se o autor tivesse esquecido dele. Isso quando não faz o mesmo personagem viver a mesma coisas duas vezes como se fosse a primeira. Não querendo largar spoiler aqui, mas vou citar um exemplo. No começo da série uma personagem tem um ‘lance’ (digo lance pra deixar aberta a interpretações e não acabar com a surpresa) com um professor, dai tem todo aquele drama que vocês possam imaginar. Mas a frente, a mesma personagem tem outro ‘lance’ com outro professor, então vemos exatamente a mesma coisa acontecer. É como se quem escreveu uma temporada não tivesse assistido as anteriores. Mas o pior de tudo está no final da segunda temporada e inicio da terceira, onde temos uma espécie de mini salto no tempo. Ao assistir é como se tivesse faltando um ou mais episódios. Algumas coisas mudaram (radicalmente) e o autor não está nem um pouco interessado em nos contar. E não é aqueles saltos no tempo que mais tarde serão explicados. Não. Existem personagens que somem duma hora para outra, como se nunca existiram. Sem contar personagens que mudam de personalidade drasticamente, o que reforça minha teoria de que cada temporada é feita por um autor que nunca assistiu nada do show anteriormente.

Mas claro que a série tem muita coisa boa também. E o principal é o futebol americano. A série é toda centrada no jogo. Mesmo quem não conhece absolutamente nada desse esporte pode começar a assistir, pois logo acaba aprendendo alguma coisa. A série não é didática, não é feita para ensinar o esporte ao publico. Logo de cara vemos apenas alguns lances dos jogos, algumas jogadas, ouvimos alguns comentários tanto dos narradores quanto dos técnico e é muito confuso pra quem não conhece. Mas ao longo da série começamos a entender o jogo, o campeonato, as posições, as jogadas, os passes, enfim, tudo. Ninguém vai olhar Friday Night Lights e sair conhecendo tudo sobre o esporte. Mas de fato, é impossível olhar a série e não aprender ao menos o básico, os fundamentos do futebol americano. Séries que misturam esporte com teen drama não é novidade. Em 2003 tivemos “One Tree Hill“, onde o esporte principal era o basquete. Porém em OTH o foco era sempre os personagens e não o jogo. Embora eu adore One tree Hill, devo admitir que não aprendi nada sobre basquete ao longo das 9 temporadas que teve a série. Em FNL é totalmente inverso. O jogo é essencial, muitas vezes mais importante que os personagens em si.

Outro lado bem positivo da série é o elenco. Mesmo sendo bem amadora a série contou com um elenco de primeira. Entre muitos atores que passaram pelo show vou destacar 3 que o publico que gosta de filme de super heróis deve conhecer. Michael B. Jordan que vai viver o novo Tocha Humana no filme do Quarteto Fantástico participou de 2 temporadas, e devo dizer que foi muito bem. Taylor Kitsch que viveu o Gambit no filme “X-Men Origens: Wolverine“, ok, o filme foi horrível, mas alguém pode criticar aquele Gambit? Adrianne Palicki que atualmente participa da série “Agents of Shield” como a querida Barbara “Bobbi” Morse, ou Harpia se preferirem.

série friday night lights

Elenco de Friday Night Lights (foto: Divulgação)

Então pessoal, por hoje é só. Espero que tenham gostado, e espero que tenha valido a demora ehhehe. Obrigado por quem leu até aqui, e até a próxima. Confira mais em Vamos falar de série

12 Flares Twitter 7 Google+ 4 Facebook 1 Pin It Share 0 Email -- Filament.io 12 Flares ×
The following two tabs change content below.
Blastoise Stefens
Ultimo estágio do Squirtle. Cinéfilo, seriemaníaco, vendedor exclusivo de cristais bulerium para Lorde Dragaunus. Nascido e criado no mundo 6, fã de Hitchcock, Spielberg e Ashirogi. Aprendiz de Unagi, Weird e amigo pessoal dos anciões da internet.

Conhece a série Friday Night Lights? Uma série de 2006 baseada no filme de mesmo nome, confira!

Quantas estrelas você dá para esta Matéria?

Avaliação do Usuário: Seja o primeiro !
0