Home >> Literatura >> Contos >> Tartarugas Ninja – O primeiro inimigo de Splinter
As Tartarugas Ninja - O Primeiro Inimigo de Splinter

Tartarugas Ninja – O primeiro inimigo de Splinter

10 Flares Twitter 2 Google+ 1 Facebook 7 Pin It Share 0 Email -- Filament.io Made with Flare More Info'> 10 Flares ×

Um Fanfic inspirado no HQ “The Teenage Mutant Ninja Turtles” de Kevin Eastman e Peter Laird

E aí galera, beleza? Trago a vocês hoje um Fanfic que fiz, há alguns anos, como trabalho para a disciplina de narratividade em games, do curso de Jogos Digitais da PUC.

Este Fanfic é inspirado no HQ “The Teenage Mutant Ninja Turtles” de Kevin Eastman e Peter Laird. Não tem relação com os filmes, com o HQ nem com o desenho animdao, é uma obra de um fã, para os fãs!

O conto a seguir é um Fanfic baseado nos quadrinhos “As Tartarugas Ninjas Mutantes”. A história se inicia logo após a o assassinato de Hamato Yoshi (Início da História, primeiro volume do HQ) e a consequente fuga de Splinter, seu rato de estimação, para os esgotos e tem seu desfecho antes do fim do treinamento das tartarugas (ainda no primeiro volume do HQ).

– É só isso que vocês têm? – perguntei enfurecido pela moleza de meus irmãos.

– Puxa Rafael, você tá levando o treino a sério demais! – respondeu Donatello, ofegante.

– Rafael tem razão em nos criticar, não temos treinado tanto quanto deveríamos e consequentemente nossas habilidades estão abaixo das dele. – completou Leonardo.

– Belas palavras Leo – retruquei – mas palavras não me vencerão no combate!

– Deixa isso comigo – gritou Michelangelo descendo sobre mim com o nunchaco em posição de ataque.

Com uma simples esquiva desviei do ataque de Michelangelo e ainda derrubei Leonardo e Donatello. Enquanto eles levantavam, vi algo que jamais imaginei ver.

– Mestre, o que houve? O senhor está bem? – perguntei aflito ao ver entrar pela porta de nosso esconderijo o quase irreconhecível mestre Splinter – Quem fez isso com o senhor?

– Pode dizer quem foi mestre – interrompeu Leonardo – que a gente acaba com ele.

– Ajudem-me a sentar e se acalmem, eu contarei o que aconteceu. – disse o mestre Splinter com a voz enfraquecida como jamais tínhamos ouvido.

O mestre estava com a aparência horrível, era visível que havia estado em batalha com um inimigo fortíssimo, tinha cortes pelo corpo e muito sangue no pelo e nas roupas.

– Vocês ainda não sabem, mas eu nem sempre fui um mestre do Ninjitsu. – começou a falar o mestre – Eu era um rato comum, preso a uma gaiola.

– O senhor, em uma gaiola? – exclamou Michelangelo – Não consigo imaginar isso mestre.

– A história de como eu e vocês nos tornamos o que somos hoje – respondeu calmamente o mestre – será contada quando vocês estiverem prontos, por hora contarei apenas o que aconteceu hoje.

– Puxa mestre, assim o senhor nos mata de curiosidade. – disse Donatello.

– Eu andava calmamente pelo subúrbio – começou a contar o mestre, sem dar atenção à intervenção de Donatello – como faço todas as noites. Tudo corria bem até que eu senti alguém me observando, era uma força muito maligna, eu podia sentir isso. “Quem está aí?” perguntei enquanto tomava posição defensiva. “Seu primeiro inimigo, e o último também, Splinter.” A voz seca, má e obstinada vinha de uma criatura mutante, assim como nós, enquanto ela saia das sombras e vinha em minha direção eu pude perceber por seu modo de andar e observar que ela também conhecia o ninjitsu. “Quem é você, e por que diz que sou seu inimigo?” insisti olhando direto em seus olhos. “Eu sou Yusuke, estou aqui pra me vingar do que você me fez!” respondeu a criatura que agora estava totalmente fora das sombras, ela tinha a aparência de um iguana, mas andava sobre duas patas e falava, assim como nós, além de estar vestindo um kimono semelhante ao meu.

– O senhor o conhecia mestre? – interrompeu Michelangelo.

– Cale a boca e deixe o mestre contar a história. – intervi, irado com a falta de respeito de meu irmão.

– Obrigado Rafael. – agradeceu o mestre antes de continuar – Olhando em meus olhos Yusuke continuou a falar. “Lembra-se da academia onde você ia observar os movimentos do ninjitsu antes de se tornar o que é hoje?”

Lembrei na mesma hora da academia a que ele se referia. Depois da morte de Hamato eu ia lá todos os dias, pois além de poder observar as pessoas praticando o ninjitsu eu ainda conseguia comida na cozinha.

“Eu era o animal símbolo daquela academia – continuou ele – pertencia a Hayou Miyamoto, o mestre da academia, mas ele me expulsou, como se fosse lixo, porque achou que fosse eu quem estava roubando comida na cozinha.”

Eu não sabia que naquela academia havia um iguana, nunca o havia visto e de forma alguma teria feito nada para prejudica-lo, mas ele não entenderia se eu tentasse explicar, sem me dar tempo de responder ele prosseguiu.

“Na noite em que fui descartado eu esperei por você – prosseguiu Yusuke ¬– e o segui depois dos treinos, acompanhei seus passos e monitorei seus movimentos por vários dias, preparando uma maneira de me vingar, até que um dia vi você encontrar aquelas tartarugas, você percebeu que alguém o observava e eu tive de me afastar. O tempo passou e as coisas ficaram estranhas, você e aquelas tartarugas cresciam de forma espantosa e eu não entendia como aquilo podia acontecer, então um dia me lembrei do líquido verde que caiu do caminhão, aquilo tinha de ser a resposta e então fui até o local onde você as encontrou, havia poucos vestígios do líquido e num ato desesperado eu o espalhei por todo meu corpo.”

Naquela hora eu comecei a imaginar quantas outras criaturas como nós pode haver por aí, tentei falar, mas Yusuke me interrompeu.

“Sua evolução foi mais lenta que a das tartarugas e a minha, mais lenta que a sua, eu continuei lhe observando e vi que treinava o ninjitsu todos os dias, além de ensiná-lo às tartarugas, então resolvi treinar também, seguindo os movimentos de meu mestre Miyamoto, observando-o na calada da noite. Por doze anos eu treinei e esperei o momento certo, o momento em que você não teria aquelas malditas tartarugas por perto Splinter, o momento para mata-lo!”

“Eu nunca tive intenção de lhe fazer mal, mas se é uma briga que quer, veremos quem teve o melhor mestre!” Com essas palavras iniciei o combate, desferindo um golpe violento com meu cajado. Nossa briga se estendeu por horas, no final, eu mal conseguia ficar de pé, o calor da batalha nos havia levado ao alto de um prédio e trocávamos golpes enquanto andávamos bem próximos à beirada. Com um golpe certeiro Yusuke cortou-me na altura do peito, mas o reflexo rápido me permitiu golpeá-lo enquanto ele reestabelecia a guarda. Meu golpe o desequilibrou e ele escorregou do parapeito, ficando agarrado ao meu bastão.

“Vamos, suba Yusuke, você não precisa morrer assim, podemos ser aliados, somos iguais”. Essas foram as únicas palavras que consegui dizer, pois a resposta de Yusuke foi seca e direta.

“Uma das lições que aprendi nesses doze anos, é que devemos morrer com honra, vencer você foi o que me manteve vivo até hoje e não posso ser seu aliado, você é meu inimigo!” Depois de dizer essas palavras Yusuke soltou o cajado e caiu.

– Se eu soubesse – exclamou Leonardo – teria ido atrás do senhor e dado uma lição nesse cara!

– Vocês terão de ir até lá antes do amanhecer – disse o mestre –, a polícia não pode encontrar o corpo de Yusuke, pois se encontrar investigará e acabará chegando até nós!

Cheios de euforia após a história de uma batalha de nosso mestre eu e meus irmão fomos até o local, mas não encontramos o corpo, em vez disso, um bilhete preso por uma shuriken com os seguintes dizeres:

“Eu fui o primeiro, e serei seu último inimigo Splinter. Prepare-se, pois da próxima vez que nos encontrarmos, será o seu corpo que suas tartarugas terão de procurar!”

Voltamos ao esconderijo e mostramos o bilhete ao mestre.

– Eu sabia, no fundo eu sabia – disse o mestre com um sorriso no rosto – que ele não podia morrer de uma forma tão boba. A partir de amanhã eu treinarei com vocês todos os dias!

Somos tartarugas, somos ninjas, somos adolescentes e temos um mestre que domina a arte do ninjitsu. Treinamos todos os dias, pois o mestre tem uma missão para nós. E agora, temos um motivo a mais para nos empenhar no treino.

– Puxa, e eu achava que o Rafael pegava pesado no treino! – exclamou Donatello.

– Eu aprendi com o melhor! – respondi.

Não tivemos sinal de Yusuke nem momentos empolgantes como aqueles por três anos, até que em nosso aniversário de quinze anos o mestre revelou nossa missão, mas essa história, você já conhece, afinal, você é fã das Tartarugas Ninja, eu sei que é!

 

Não esqueça de curtir, comentar e compartilhar, assim você incentiva nosso trabalho!
Confira nossas colunas HQ Suprema e Vamos falar de série.

Se você gostou desse conto, pode conferir mais aqui.

10 Flares Twitter 2 Google+ 1 Facebook 7 Pin It Share 0 Email -- Filament.io Made with Flare More Info'> 10 Flares ×
The following two tabs change content below.
Arameikos Klautzer
Sr Geek Supremo Fodão Pica das Galáxias; Libertador de Mordor e da Terra Média; Senhor Supremo da Antártida; Designer Gráfico em Formação, mas mesmo assim Foda! Degustador Supremo de Cervejas; Lindo, Charmoso, Inteligente e Humilde; Tricampeão do Prêmio Humildade é Tudo Nessa Vida

O conto a seguir é um Fanfic baseado nos quadrinhos “As Tartarugas Ninjas Mutantes”. A história se inicia logo após a o assassinato de Hamato Yoshi…

Quantas estrelas você dá para esta Matéria?

Avaliação do Usuário: 4.83 ( 2 votes)
0